sábado, 7 de novembro de 2015

Halloween in Portuguese






Celebro o halloween desde pequena e à medida que fui crescendo, talvez ali pela adolescência, fui-me apaixonando cada vez mais pela data. Talvez pelos desenhos animados, filmes e séries americanos tenha sido alimentada esta emoção em torno do evento, mas acho que foi com a tradição inglesa que nasceu o "bichinho" dentro de mim. A dedicação que eles têm ao halloween é incrível. Abastecem-se de abóboras (e tudo o mais) com muita antecedência, esculpem-nas em família e acho isso um programa absolutamente encantador! É super amoroso ver os pais com os filhos a tirar o interior às abóboras e fazerem delas aquilo que querem ver como resultado final. Depois, aterrorizar o jardim, a porta de entrada e as salas de estar com as suas abóboras iluminadas. Nesses dias que antecedem a data, contar histórias de halloween às crianças, brincar, ver filmes de animação com elas. Viver a época... Até que chega a tão esperada noite e andar na rua é uma enorme aventura. Eu própria teria de ver se conseguia e não sou criança! Há gente a sair debaixo da terra, a levantar-se por trás dos carros, a aparecer dos sítios mais inesperados e mascarados de seres do além. É um verdadeiro terror, para quem se aventura a andar pelas ruas! E uma enorme emoção também, daquelas que unem uma nação :)

Estas tradições deles sempre me fascinaram, ao ponto de eu unir as minhas amigas, quando éramos pequenas, para nos mascararmos de fantasmas com lençóis velhos e andarmos pelas ruas à noite, sem fazer nada, só andar juntas mascaradas em noite de halloween. Ali nos nossos dez ou onze anos, sozinhas, não havia muito mais para fazer, a não ser satisfazer o meu (já) desejo de viver as tradições alheias, tão sérias e compreendidas nos países de origem. E tão divertidas também! Eu só queria poder participar. Anualmente, no dia 31, via religiosamente as notícias durante o jantar, onde mostravam as ruas em Londres, terrivelmente frequentadas por seres monstruosos e o terror que era passar pelos bairros familiares à noite. Não havia youtube para ver estas coisas, era assim que alimentava mais uma paixão. Era o meu fascínio... E eu só queria poder participar.

Mal eu podia adivinhar que um dia a tradição chegaria cá. Uma tradição que não é nada nossa começou a pegar aos poucos e, sem me aperceber, este ano atingiu o auge! Mas só na parte das crianças, os adultos continuam a não participar, até para proteger a nossa tradição do Pão-por-Deus.

Se em pequena eu fazia umas máscaras com as amigas e íamos caminhando pelas ruas a brincar ao halloween, muitos anos mais tarde, já na faculdade, já tenho feito festas de halloween em casa e para quem não quer ter trabalho também já há alguns anos que há festas e jantares temáticos por toda a parte (falo de restaurantes, discotecas, etc.). Antes da faculdade também fazia festas de garagem, na adolescência, que deixaram tão boas memórias que nunca foi possível parar de me apaixonar por esta tradição, tive de trazê-la para Lisboa - e os amigos agradecem muito! Foi o que aconteceu no último sábado em nossa casa e, festas à parte, adorei ver que a tradição pegou mesmo em Portugal. Inúmeros grupos de crianças andavam na rua, mascarados, a entrar pelos prédios e a pedir doçura (ou a oferecer travessura). Eram grupinhos organizados, com cestos decorados, e cada um com um par de mães atrás a ajudar. Só podem ter sido as escolas a divulgar a tradição este ano, porque nunca me tinham batido à porta e este ano havia tantos grupinhos assim de repente. Foi tão giro receber tantos pequenos monstrinhos à nossa porta de surpresa! Tentámos sempre assustá-los primeiro com as nossas máscaras e música assustadora. O nosso maior desgosto nessa noite foi não estarmos preparados com doces para lhes dar, acabaram por levar os próprios bolos e biscoitos da nossa mesa de festa. Mas para o ano faço compras especiais só para os mini monstrinhos, estarei a postos!!

A tradição pode não ser nossa, mas é tão gira! Por que não fazer? Tudo o que nos faz mais felizes é, com certeza, para copiar. E eu só espero que se prolongue por muito mais tempo porque arranjei mais uma maneira de fazer muitas criancinhas felizes. E, diga-se de passagem, agora tenho desculpa ainda mais forte para continuar a dar cada vez maiores festas de halloween.

Sem comentários: