sexta-feira, 31 de julho de 2015

Os Nossos Diamantes


No dia dos amigos (ontem), fiquei em baixo e em reflexão por constatar que estou totalmente afastada de todas as minhas amizades – ou deveria dizer antigas amizades? Se é um facto que um verdadeiro amigo nunca se perde, mais verdade ainda é que as amizades têm que se cultivadas e alimentadas (e que eternamente à distância também não nos adiantam de muito). Os amigos são os pilares das nossas vidas, os melhores remédios para o nosso coração e todas as feridas. Estar rodeado de amigos é o caminho para a felicidade plena e um maravilhoso bem-estar, satisfação, conforto, paz mental... E por isso continuam a sair tantos estudos a provar a relação entre um grupo fixo (e ativo) de boas amizades e a saúde e longevidade de cada pessoa. Isto é tudo verdade e é bastante lógico até! Saber que eles estão sempre à distância de um telefonema, uma mensagem ou até de um tocar à campainha (altamente preferível) é uma sensação única e sem valor. Eles são mesmo “a família que escolhemos”, insubstituíveis e de valor infinito, de tal forma que quando alguém não tem uma relação familiar tão profunda e cúmplice como seria esperado, eles tornam-se a prioridade, tornam-se eles a verdadeira família. Tão bom! É por isto que quando se encontram os bons amigos, eles são para agarrar, são diamantes para não perder e iluminar sempre a nossa vida! Vamos preservar bem as nossas amizades – e a nossa saúde, tranquilidade, felicidade! – que elas são o que temos de mais precioso. Eu vou tratar disso, com um enorme atraso e doses de compensação, assim que me for possível nesta vida que agora está muito complicada e sem espaço para mais nada.
E se este ano não pude utilizar esta desculpa perfeita para um festão (dia dos amigos no pico do verão?! que dádiva!), então vou esperar pelo ano que vem (falta tantooo) e aí vai ter de haver festa dupla para compensar. A minha lista de compensações cresce e cresce... O futuro promete mesmo!

1 comentário:

Green disse...

Como dizes, os verdadeiros permanecem, e vão estar cá hoje, daqui a um ano ou daqui a 50 anos :)