domingo, 1 de fevereiro de 2015

Segundo Capítulo


Hoje começou um mês marcante. É o do amor e aqui para nós é mais do que isso, é o mês do nosso projeto. Já dissemos isso nas últimas dezenas de meses da nossa vida, em todos os dias 1 quase sem exceção, mas neste está tudo delineado e encaminhado, falta só concretizar. Estamos a safar-nos com o que ainda temos, a dar o tudo por tudo, conscientes de que agora é mesmo o tudo ou nada. E vamos começar a perceber se valeu ou não a pena o prolongado esforço, os sacrifícios, a nossa louca resiliência.

Gostava de poder viver este mês do amor. Tenho milhões de ideias bonitas, daquelas que já queria ter metido em prática em todos os anos anteriores mas que também não podia utilizar, e por isso têm vindo a acumular (assim como a minha ansiedade). Os motivos desta vez são os mesmos... E há um ano atrás eu sofria exatamente do mesmo, porque não iria ter este mês. Deixa-me triste mas tenho de pensar no motivo e continuar a acreditar que vai valer a pena. E acreditar que ainda vou poder "ser namorada" por muito mais tempo para festejar muitas outras vezes que compensem as mil que desperdiçámos... Será que vou a tempo? Quanto tempo teremos ainda para ser namorados? Será que poderemos algum dia compensar todo o tempo que não partilhámos e tudo o que não vivemos? No mínimo, a idade não volta atrás.

Nos últimos anos este mês também tem sido uma espécie de descarga do que não aconteceu em janeiro. Entra-se no novo ano cheio de planos, decisões sérias, promessas a nós próprios, uma vida espetacular pela frente! Mas quando esse mês termina e nada foi colocado em prática, aí é o pânico. O medo de que tudo continue como sempre, que nunca se tenha força para mudar, que continuemos fracos, que afinal seja mais um ano mau. Mas não, não pode! É então que se pega em fevereiro. É o plano B das resoluções, a última oportunidade para provar que somos capazes e que vamos mesmo mudar alguma coisa, lutar por nós e pelo nosso ano, pela nossa vida.

Acima de tudo, é quando chegamos aqui que vemos como um mês já se passou tão rápido e que é assim, mês a mês, que se passa a vida. E é preciso agarrá-la. Começar a ser inteligente e não vê-la mais a passar. Agarrar este mês que é tão pequeno mas tão cheio de tudo. Porque é o segundo capítulo de mais uma história que pode ficar em branco (ou a negro) se não nos esforçamos por tirar alguns momentos para a escrever...

2 comentários:

Green disse...

Para mim Fevereiro é o mês do Carnaval e da folia, da diversão e das saídas até de manhã.
Amor é sempre que quisermos, tal como as manifestações de amor, não é preciso um dia marcado.

Joana disse...

Pela tua saúde, vai com calma... Enfim, dentro dos teus objectivos, claro, mas com calma... Por algum motivo são resoluções de ano novo, e não de Janeiro novo... :)