domingo, 25 de janeiro de 2015

Saudades


Saudades das coisas mais simples, do normal. De sair num dia maravilhoso como o de hoje para ir ver o mar, talvez lanchar fora, voltar ao fim da tarde e namorar o resto do dia, num serão a dois antes da nova semana...
Hoje, com os raios de sol a atravessar a sala, parecia um autêntico dia de primavera e eu sabia que Lisboa estaria na rua. Deperta logo aquela vontade de sair e explorar, ainda mais. Ou de simplesmente sentar algures a apreciar e voltar de energias recarregadas por tudo aquilo que o sol nos dá. O instagram mostra-me a quantidade de pessoas que estiveram hoje deitadas ao sol, e que boa sensação que fica depois para enfrentar uma semana inteira de trabalho!

Eu tenho muitas saudades dessa liberdade, da "normalidade", e sinto tanto a falta desses passeios de fim de semana. Não o faço nem sequer uma vez por mês, nem praticamente nunca no ano. Faz-me falta o sol do dia, os encontros de almoço, sair para beber um copo à noite. A saúde da natureza, a saúde das amizades. As saídas de fim de semana. Não saio literalmente há anos. Às vezes sinto-me sufocada nesta rotina de trabalho, nesta minha vida estranha, que passou de "uma fase", fase de desconexão total com o mundo e amigos e de mim própria, e tornou-se afinal numa rotina assustadora.

Hoje, depois de três dias deitada e fechada em casa, saí para respirar por cinco minutos. Não foi nada, mas precisava de vestir-me e esticar as pernas, fazer a transição da minha cama de doente para o dia de trabalho já amanhã, na minha secretária. Mal dá para crer mas amanhã entra já uma semana bem cheia e decisiva, de trabalho e não só. Vendo o lado positivo, sempre passei uns dias de sofá e tive um pouco de tranquilidade. A partir de amanhã é só trabalhar para em breve matar saudades de tudo o que falei (e de muito mais) e poder mudar de vida para sempre.

1 comentário: