segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

After-Christmas


Este Natal, entre tantas prendinhas simples e queridas que recebi, houve dois grandes presentes absolutamente inesquecíveis e que têm tomado toda a minha atenção nestes dias festivos: uma valente constipação e um piolho. Isso mesmo, e por esta ordem. Da constipação eu já me tinha apercebido lá em casa dos meus pais, antes sequer de voltar para Lisboa. E bateu forte nesses dias, a ponto de passar um dia deitadinha aqui em casa a ver se passavam os sintomas de febre. Mas do piolho já só dei conta em Lisboa, dia 26. Comichão na cabeça ao acordar, comichão no pescoço durante o banho... Sinais de alerta suficientes para pegar num pente fininho e me pôr à caça de algo. Encontrei o malandro e pensei imediatamente como aquilo me foi acontecer. Aparentemente as minhas pequenas priminhas estão totalmente contaminadas desta praga e ninguém teve a decência de me avisar, mesmo enquanto assistiam durante horas à minha brincadeira com elas, eu e o meu longo cabelo que quase roça o umbigo nesta altura do campeonato. Não sei se para algumas pessoas é natural que se ande na vidinha normal com piolhos sem avisar ninguém. Eu nem digo que as crianças andem por aí a apregoar que têm bichos por todo o cabelo, mas as mães podiam informar-nos discretamente do que se passa, pelo menos quando somos todos da mesma família, partilhamos a mesma casa durante umas horas e nos veem em interação com elas durante tanto tempo. Já não sou criança, não estou de férias, não tenho quem me veja o cabelo, tenho de tratar disto por minha conta. E é algo que faço logo, ainda bem que sou tão proativa, ou neste momento estaria mesmo, mesmo, chateada. Já informei a mãe das crianças deste acontecimento, e agradeci que da próxima vez me avisem. Se isso vai acontecer é que já não tenho a certeza. Mas espero que sim, ou começo a ir a casa de outras pessoas de touca na cebeça... É isso ou manter um raio de distância, porque andar com estes bichos no cabelo pode tornar-se perigoso - além de ser um pesadelo.
Tomei as rédeas do problema com tempo e felizmente tratei tudo num dia. Mas uma pessoa "normal" estaria bem tramada com isto. Ainda bem que estou sempre alerta com tudo e em vez de me queixar trato logo de mim sozinha. Valha-me isso, no meio de tantas surpresas desagradáveis que tenho recebido a toda a hora!
A constipação também já está totalmente controlada. Agora espero só organizar mais umas quantas coisas aqui por casa e fico feliz por poder entrar num novo ano livre destes dois pequenos sustos. E acarinhada por todas as prendinhas realmente queridas que recebi.

3 comentários:

Miss Purple disse...

Eh pá que raio de prendas :S
Realmente as mães deviam ter avisado. Não é mal nenhum, mas só faziam bem!
Olha, as melhoras !

Diana Machado disse...

durante o verão costumo trabalhar num jardim de infância e é ridículo ás vezes quando as crianças aparecem com piolhos, nós no risco de apanhar também e as outras crianças todas, vai um recadinho para casa e ainda é contestado porque ai e tal não digam isso da minha filha. enfim, percebo a tua frustração!

Green disse...

Lembro-me de ter tido piolhos duas vezes, quando crianças, e aquilo durava dias e dias até que a minha mãe conseguisse dar cabo deles. Até fiquei com comichão, só de ler o teu texto.