sábado, 8 de novembro de 2014

Parvinha, Eu

Há meses que sabia que gostava muito ir ver John Legend. Novembro estava longe e até lá eu havia de arranjar forma. No mês passado estive mesmo, mesmo à beira de comprar dois bilhetes. Estava cada vez mais entusiasmada com o novo álbum, os bilhetes para Lisboa a esgotar e ele começava a meter diariamente no Instagram fotos lindas dos concertos da tour que entretanto tinha começado na Europa. Thank you, Oslo! Thank you, London! Era uma destas por dia, com foto, só para abrir o apetite. Cada vez queria mais ir, cada vez mais ouvia o álbum, isso tudo até ontem. Ontem ouvi tudo outra vez, e vi por fim duas fotos dele tiradas em Barcelona, do concerto de há dois dias. Percebi que o tempo tinha acabado.

Confesso que ainda andei pelo olx a ver se havia bilhetes ao preço da chuva, mas pelo contrário. E ainda bem, para não ficar a pensar nisso. Os concertos, bem como tantos outras coisas supérfluas (roupas, saídas) infelizmente não são prioritários na nossa vida empreendedora, em nome de salvaguardar o futuro, sempre. Vendo bem as coisas, devia ser e tem de ser assim na vida de qualquer pessoa, para depois ninguém andar a dizer que "não há" ou "não tenho" ou "a vida está díficil" a inflamar o bem-estar alheio, mas isso já são outras conversas.

Tudo isto para dizer que hoje é o tão esperado dia do concerto, ele está aqui mesmo ao meu lado e eu não vou mesmo assistir. E em cima disto, com tantos dias que tenho na semana para ir até ao Centro Vasco da Gama, tinha de me esquecer e ir até lá hoje. Parvinha, eu, vi as filas para o concerto logo de manhã...
Deixo algumas das fotos partilhadas pelo próprio John Legend no seu Instagram ao longo do último mês:


 Bilbao




 Berlim


Dusseldorf


 Estocolmo


 Varsóvia


 Paris


 Viena


Zurique





E estas duas últimas, de ontem, em Barcelona.
Aqui tão pertinho, já a cheirar a Lisboa...
Vai ser um grande show esta noite

2 comentários:

Miss Purple disse...

Mais oportunidades virão, não te preocupes :)

Green disse...

Tenho a certeza que foi um grande concerto, mas não é o fim do mundo.