segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

The Disappointment(e)


Tenho problemas com os restaurantes da moda. É o nome que dou aos conceitos de restaurantes fashion que abundam pelo Chiado, pela Baixa Lisboeta, pelas sete colinas e bairros mais antigos. Em grande parte deles come-se bem. E, atenção, que grande parte deles eu quero mesmo ir experimentar. Mas a maioria é, sem dúvida, um grande golpe de marketing e sobretudo um golpe de moda - e eu adoro modas, mas detesto sentir-me enganada.

Há uma série de novos brunches em Lisboa que quero experimentar. Para brunch de ano novo não havia os que estão no topo da minha lista de experiências a fazer, havia poucos sítios abertos, então encontrei facilmente a informação de que o The Decadente, restaurante do hostel The Independente, ia estar aberto para brunches nesse dia. Lá fomos nós procurar um começo de ano romântico e delicioso, e sobretudo bem descansadinho e com bom astral. Bem, não foi bem o que encontrámos. Na verdade deitei por terra todas as minhas expectativas depois de ter lido tantas boas críticas àquele espaço. Desde as reviews de muitos blogues ao charme do site (coisa que os "sítios da moda" não costumam ter, um site com bom aspeto ou simplesmente um site). Mas fomos totalmente levados por um sítio que vende bem o seu conceito apenas porque agora está na moda entrar no estilo retro ou vintage a qualquer custo. Parece que por ter uns bancos recuperados numa espécie de barracão e umas paredes sujas é de repente um local rústico super cool e obrigatório. Mas isso não chega, não chega mesmo.

A oferta vai muito pouco além de um pequeno-almoço muito regular, o buffet, que só por si é fraco, está sempre "em baixo" à espera de reabastecimento e as mesas são escassas. O sítio é escuro, e tudo o que eu queria na primeira refeição do ano era um pouco de energia e um ambiente positivo. Não só faltavam as energias positivas como ainda nos sentaram à mesa com dois tipos que não conhecemos.
Fui a um brunch onde não havia croissants, chás, onda havia uma única variedade de pão, às fatias e muito muito foleiro, juro, e onde nem apanhei queijo para me servir. As prometidas saladas são um prato com alface partida e um outro prato de fusilli com beringela. Fui a um brunch onde nunca consegui apanhar café (!!) e onde "as bebidas quentes, se quisermos, são pagas à parte" (?!). Ali pagámos 28€ pelos dois menus-base e a única coisa gulosa que ofereciam eram uns cubinhos de bolo que voavam das mesas assim que apareciam. Espero estar a ajudar alguém que tencionasse experimentar o sítio, que não vale a pena nem pelo menu nem pelo espaço. Muito menos pelo serviço. Uma desilusão... Dizem que o restaurante para jantar é muito bom, mas eu perdi toda a vontade de tentar.

Já estou a pensar cuidadosamente no próximo brunch para experimentar, e com expectativas renovadas. Entretanto, não se preocupem porque a minha primeira refeição do ano não vai defini-lo, até porque a companhia foi deliciosa na mesma. Vou, sim, passar o ano a compensar-me com brunches bem mais gulosos... E cuidadosamente selecionados. :)

5 comentários:

Joana disse...

Espero bem que se lembre das amigas para essas incursões deliciosas :P o 1º brunch a que fui em Lx foi com sua Exª!! E aquele era bom hehehe

beijinho, better luck next time*

Joana disse...

PS: sugestão para o próximo! E é tão perto de minha casa que vou ficar ofendida se não avisares :P
*

http://acidadenapontadosdedos.com/2013/11/16/brunch-olivier-avenida-um-dos-melhores/

Belicious disse...

Isso sim, é um senhor brunch! Tenho esse debaixo de olho, Joana! ahah é claro que temos de prosseguir nestas incursões deliciosas.
Aquele a que fomos também é fantástico, dificilmente se arranja melhor, mas eu também não exijo tanto (apesar deste a experimentar parecer um adversário bem à altura :p). Agora é só combinar!

Joana disse...

Fair enough :D o prox f-d-s que eu ficar pela capital logo te digo alguma coisa ;)

ohlalali disse...

Nunca tinha ouvido falar neste sitio ate ler o teu comentario num outro blog que pedia sugestoes de restaurantes/cafes em Lisboa.
Pois bem, sitio escuro onde a comida escasseia nao vale o dinheiro, ainda que o espaco e os moveis tenham sido restaurados. E' normal que nunca + la queiras ir, e eu confesso que me sinto muito influenciada por mas experiencias, ainda que estas possam ser singulares.

Estive em Lisboa recentemente e experimentei o brunch do Tartine no dia 2/1. Gostei. O conceito nao e' novo (muito Le Pain Quotidien, que nao existe em Portugal, ainda..), mas achei caro apesar da qualidade. Em alternativa, ha os peq-almocos ou aqueles compostos pelo cliente, ficando mais em conta.

Tambem experimentei o tal La Creperie da Ribeira, e esse sim, supreendeu-me muitissimo. Barato, optimos crepes, e o sitio em si e' do mais aconchegante que ha.

Fica a dica.