segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Happy week


Há uma semana preparava-me para o Natal, que cada vez mais se resume a uma tarde de preparação de últimos presentes e a um jantar de bacalhau em loiça mais bonita que o habitual, seguido de sobremesas diversas. Não queria partir para casa no dia 24, não sem ele, mas foi a primeira vez que fui só no dia 24 e isso ajudou. Foi a primeira vez também que voltei dia 25, e isso foi ainda melhor, tão bom. Perfeito foi ele ter ido almoçar connosco, foi o melhor Natal dos meus últimos sei-lá-quantos anos. Fui feliz.
Combinámos que a partir do dia 26 seria só trabalho, e por ventura com mais algumas coisas pelo meio. Comecei a imaginar as minhas hipóteses de andar mais uma vez de mão dada pelo chiado, desta vez de dia, com as lojas abertas, a ver as pessoas, as montras e a agitação da cidade, quem sabe depois de passar no starbucks ou antes de parar a tomar um chocolate quente nalgum espaço acolhedor. Pensei ir à Diverlândia, aqui à porta de casa. Pensei que daria para um jantar romântico pela zona e uma ida ao cinema, nestes centros comerciais que ainda transpiram Natal. No entanto, a semana passou muito rápido e não aproveitámos mais o Natal até agora e não sei como serão os próximos dias, mas deverá tudo voltar ao habitual e eu vou ficar a chorar por mais...
Gostei destes dias de conforto cá em casa só entre nós, embora sempre preenchidos e muito a correr com tarefas e muitas organizações da minha parte durante a manhã, trabalho da casa e algum trabalho no projeto até à noite. Soube bem as luzinhas da árvore sempre acesas, os chocolates pela casa, alguns filmes que vimos, algumas refeições especiais, o almoço fora, a mesa da sala livre de computadores gigantes numa semana sem exemplo... Não trabalhei nem metade do que devia ter feito, passei uma manhã nos saldos e a de ontem a passear pelos vulcões e jardins da expo, a aproveitar o dia de sol.
Tudo isto não devia passar tão depressa. Não foram férias, mas foi uma breve amostra de conforto a que parece que já só temos direito nesta época, quando devíamos ter durante todo o ano, com tempos de qualidade, tranquilidade, paz e partilha todas as noites e fins de semana. E quem sabe, também, durante o dia (mas isto já são planos pessoais mais reservados). O ano de 2014 começa logo (e novamente) na luta para ganharmos o nosso espaço e o que tanto merecemos por tudo aquilo de que já abdicámos e por tudo o que já investimos.

1 comentário:

Joana disse...

Ânimo aí, Bells... como vês, tudo se conquista ;) mesmo com babysteps.

Bom 2014!!!!
kisses*