quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Ânsias


A minha irmã ontem contava-me que ia passar a tarde no Freeport e ia aproveitar para arranjar-se e maquilhar-se, porque neste momento tudo o que é sair à rua é uma festa. Ah, sim, ela também está a terminar a tese de mestrado.
Hoje sou eu, que para ir ali à clínica buscar os resultados das minhas análises já estou toda eu acessórios, máscara e roupa a condizer. A festa total, eu vou mesmo à rua. Uma coisa é certa: quando tiver a minha vida de volta acho que vou usar e abusar de tudo o que me possa "embonecar", tudo o que me possa fazer sentir que recuperei deste ano de clausura. É uma coisa que nunca teve nada a ver comigo - pintar antes de sair de casa, preocupar demasiado com pormenores desses, somos daquelas raparigas que não se desenrascam nada mal ao natural e se habituaram ao horror de sair de casa de cara lavada (sim, eu sei que para muita gente só em caso de vida ou morte). Mas esta é uma ânsia que sinto agora, como que de recuperação do tempo perdido, nem que seja para marcar uma transição. Também me apetece mudar radicalmente de cabelo no fim disto tudo, como um ato de liberdade que tanto preciso já que não vou ter outro, mas nisso acho melhor ficar quietinha e ter juízo porque vêm aí muitas reuniões e vida empresarial depois desta fase. Talvez o pinte pela primeira vez na vida, sempre sinto que mudei alguma coisa. Mas isso vai saber a pouco e é apenas simbólico, uma mudança simbólica só para mim e para eu sentir, porque de resto vai ter mesmo mudar muita coisa a sério que não isto.

Sem comentários: