quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Meio do mês, meio do objectivo


Bom, não é que seja o meu objectivo de vida, mas é o mais urgente agora. Terminar a tese é algo que eu imaginava para há uns meses atrás, pelo menos dois, e está bem longe (a meio) de se realizar. Hoje cheguei exactamente a metade deste trabalho, e tendo em conta que foram uns nove meses nesta brincadeira, é melhor não pensar em quanto tempo quero mesmo fazer a segunda metade. Foi um percurso com muita turbulência até chegar aqui. Mudei de tema em Fevereiro, voltei a mudar em Abril. Aí fui consultar tudo e mais alguma coisa sobre o assunto e escrevi a minha primeira palavra já no fim de Maio. A 11 de Julho estava eu no gabinete do professor a apresentar quase metade do meu trabalho já feito (em tempo record), atrasadíssima e aflita por passar à fase seguinte e dar este assunto por encerrado, quando ele me informou que não era nada daquilo, que de nada tinha valido, para vir para casa recomeçar. Respeitei. Dia 12 foi novamente o dia zero do meu trabalho, quando alguns colegas já tinham as suas teses entregues.
Restou-me olhar em frente, lembrar-me de que não desisto nunca, e no fim até costuma valer bem a pena o meu esforço estupidamente gigante.

Ocorreu-me muitas vezes que montes de pormenores neste percurso não fizeram sentido, que teria feito tudo diferente, e que sem dúvida qualquer pessoa no meu lugar deixaria isto para o próximo ano, por de facto parecer impossível demasiado remota a possibilidade de vir a fazer uma tese de mestrado inteira em pouco mais de um mês, e ia-se embora de férias. Parece absurso, não é? Mas não gozem, eu agora vou mesmo ter de conseguir fazer isso. Eu já sou perita em conseguir conquistas absurdamente inacreditáveis, não pelo tamanho delas, mas pelas dificuldades que me imponho até conseguir lá chegar e tendo em conta as péssimas condições que acabo por ter. Esta será só mais uma dessas provas difíceis, já tem sido um percurso pesado por todas as chatices que arranjei com o meu nervosismo nos últimos meses, por ter também o nosso projecto dentro de casa a tempo inteiro, por ver os dias tão bonitos a passar, um a um, lá fora. Mas é como disse, quando entro, é para continuar mesmo quando posso enumerar durante uma semana as dificuldades que já tive. E olhando para o copo meio vazio ou meio cheio, eu agora vou dizer-me sempre que metade já passou! E assim ganho forças para continuar nesta aventura meio maluca. Se não conseguir, bem, há uma primeira vez para tudo, isso com certeza. Mas até o prazo terminar, vão ver-me a tentar. *inspira; uffff; expira* Let's get this done.

Sem comentários: