sábado, 1 de junho de 2013

Challenges - to be continued


Há meses atrás, a entrar no novo ano, via Junho tão distante e tinha tantas expectativas para ele. É o MEU mês, adoro-o desde os tempos em que o podia aproveitar, sempre foi o meu mês de eleição. Aquele em que o sol brilha mais forte, o tempo ganha os verdadeiros ares de Verão, na escola já não se fazia absolutamente neste mês a não ser auto-avaliações e muuuito convívio, jantares, brincadeira. Pensava que ia agarrar este mês feliz para o resto da vida. Masss a vida decidiu gozar comigo e há quase uma década que não vejo o mês de Junho.
Começou no ano dos exames nacionais com a carta de condução (cobriram o meu amado Junho por inteiro) e a partir daí nunca mais me safei, até aos dias de hoje, com os exames exames exames na faculdade, ano após ano, do primeiro ao último dia deste adorável mês.
Este ano, pela primeira vez nesta nova vida - de quem já atravessou largos anos de ensino superior e está finalmente a sair dessa fase - entrei em 2013 tão feliz por ser o ano em que ia ter o meu amado mês de volta, e o meu primeiro Natal a sério depois de tantos anos a pensar "para o ano é que é". Mas não, acabo de entrar num mês bastante atarefado. Mas quando digo "bastante" é assim quase ao máximo (só não digo ao máximo porque já passei pelos exames do ISEG demasiadas vezes e isso sim, é de facto o máximo).

A modos que ando a fazer listas de obrigações para que tudo não desmorone precisamente no meu mês. Vão ser 30 dias decisivos para conseguir fazer a minha tese de mestrado ou essa brincadeira fica complicada. Pode continuar a não haver praia neste mês para mim (que tristezaaaa) mas tenho de inserir um pouco de vida social nestas rotinas ou dou em maluca! Pelo menos começamos pelo Irish Pub já amanhã à noite, temos cinema em grupo para terça à noite e na sexta-feira vamos ao estádio apoiar a selecção. Também temos a Alicia Keys no fim do mês e o meu aniversário para planear e festejar nessa altura. A isto junto a missão de emagrecer uns quilinhos e deixar a minha tese pronta para levar o golpe final. Só estes dois levariam o mês em full-time, mas ainda há o trabalho no meio (na realidade, o resto é que existe no meio do trabalho) e de repente tudo isto me parece uma ilusão. Vamos lá ver, Junho! Mais uma vez sou posta à prova, no fim do mês conversamos.

Sem comentários: