domingo, 19 de maio de 2013

No matter what

É bom saber de antemão que o fim-de-semana vai ser maravilhoso, faça chuva ou faça sol, ir sem medos e de mãos dadas para três dias de puro descanso intelectual. Assim foi, com chuva presente todos os dias, hospedados num aldeamento top e tão giro, com uma piscina tão convidativa e a praia à porta, mas o tempo incerto a pregar partidas. Nada de tristezas ou azares: se este ano não há calor, há aqui amor para dar e vender e a felicidade de uma fuga tão deliciosa ao trabalho diário é inegável. Quero mais!!!

Adoro o Algarve, adorei Lagos. Sou a maior fã de cidades grandes e sofisticadas, mas aquela localidade mais pequena e tradicional também foi uma boa surpresa e ainda ficávamos por ali uma semana, duas, um mês, sei lá! Claro que ser a única portuguesa no meu próprio país durante muito mais tempo ia ser estranho, assim como continuar a tentar encontrar refeições que não sejam omeletes, tostas e english breakfast (uma luta sem fim), mas voluntariava-me para ainda ir conhecer os restaurantes mais tradicionais que completavam o cenário da Aldeia da Luz, as esplanadas da Marina sem ser à chuva e esperar pelo bom tempo para voltar a almoçar na praia, mas sem os casacos vestidos. Não escolhemos o tempo mas adaptamo-nos a ele! O hotel é pensado para descansar e foi tudo o que fizémos ali - leituras, sestas e passeios. Liberta-se o cansaço mental, traz-se o cansaço físico, mas nada que não se resolva já já. Venha a segunda-feira! E mais dias destes também.

Deixando o óbvio de lado (a praia, a marina, os petiscos, etc.), partilho um pouquinho do sítio onde apetece voltar - com direito a uns raios de sol e tudo.














Sem comentários: