segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Lovely Sunday


Foi um acordar de domingo. Há meses, senão há anos, que não me levantava assim tão tarde. Sábado foi noite de nos juntarmos ao resto da nossa faculdade e assistir ao festival da nossa tuna. É incrível como tudo passa, já fez seis anos desde o primeiro festival que ajudei a criar e agora já não pertenço ali. A vida avança, nós evoluímos e a tuna renova-se, ano após ano, com caras novas e é assim que são as coisas, por mais que custe. Há quem não aceite isso. Há quem fique ali preso para sempre, como se não existisse vida fora daquilo, há quem viva a preto e branco e ainda me pergunte "porque não vens tu trajada?". É aquele momento em que não sei se ria, não sei se chore. Meus filhos, o meu traje está onde deve estar, guardadinho desde a benção das fitas, porque o meu curso terminou e já foi há algum tempo. Imagino que tenham perguntado o mesmo às outras 20 pessoas que pela tuna passaram, que ali foram também assistir às novidades naquela noite e que entretanto também avançaram nas suas vidas - e já agora que também devem ter o traje bem guardadinho no sótão, com muitas recordações, é certo, mas é onde ele deve estar. Mas chega de divagar sobre o meu relacionamento com o traje académico, que eu só vinha contar sobre o meu domingo... O importante é que no fim recordei a vista do palco, ao sermos todos chamados para cantar duas músicas de sempre com a tuna, em que os caloiros nos dão as suas capas para actuarmos e acaba por ser um momento bonito. A noite acabou às tantas aqui por casa.

Acordámos já depois da hora do almoço e fui dar as boas vindas à S. na casa nova. Já tenho a minha irmã aqui nas redondezas, já tenho companhia para muitas coisas, incluindo trabalho e estudo porque esses não nos vão faltar nas próximas duas semanas. Depois é Natal e não estou nem aí :)
Ao lanche, já de volta a casa, chocolate quente e alguns pecados que fazem parte de uma tarde deliciosa. Aprendi entretanto que não se deve tentar avançar com trabalho ao domingo ou somos punidos com uma grande dor de cabeça. É então que vou cheia de mantas para o sofá e ali acabo o fim-de-semana a ver um episódio de PLL, para matar as saudades. Agora uma nova semana começou e antes do próximo domingo não há mais ronha para ninguém.

1 comentário:

Joana disse...

Esse arrastar eterno dentro da tuna / faculdade é uma coisa que tb a mim me fascina, me deixa sem saber o que pensar :D
Se eu voltar a vestir o traje será pra ir à Benção da minha irmã, e pq acredito que deve ser importante para a minha família ver-nos a ambas trajadas.
Agora de resto, por vaidades e saudosismos eu não penduraria a minha vida eternamente nos "tempos de estudante"...

Ainda bem que tiveste um domingo daqueles bons :)

bj e até dia 19* hehe