sábado, 22 de dezembro de 2012

De olhos postos no futuro (confissões sobre o fim do mundo)


Há dois anos atrás, em plena febre de "o mundo vai acabar", no auge do ataque comercial que se fez à volta deste tema, com secções na Fnac só dedicadas ao apocalipse e filas de livros todos diferentes mas todos com "2012" no título, com documentários por toda a parte e ainda filmes que lançaram sobre isso e que eu, feita parva, fui ver... Bem, nessa altura comecei a repensar a minha vidinha e em como seria injusto perder tudo se até agora só me tinha esforçado para um dia ter um futuro agradável. Pior, estava de braços dados no cinema a assistir ao fim do mundo e a pensar que não queria separar-me de nenhum dos meus, que não conseguiria suportar um cenário trágico do que quer que fosse quando todos os dias imagino um futuro cheio de coisas boas e finais felizes. Foi aí que disse logo - e ainda faltava tanto para este ano, e estava com tanta vontade de não perder quem queria - que "se não morrermos em 2012, casamos em 2013" e cheia de emoção, com vontade de viver tudo intensamente, meti isto na cabeça. Mal eu sabia que um ano depois ainda me ia enfiar num mestrado de dois anos e meio, que a história do fim do mundo só existia em 2010 e quando vendeu o suficiente transformou-se em tanga, e que agora, às portas de 2013, estamos vivos, juntos e felizes, que é o que interessa. Apetece-me celebrar!

1 comentário:

miii disse...

E é motivo para celebrar! :b