segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Realidades


A mulher social e matadora que há em mim entra nas lojas, vê as novas colecções, apaixona-se e quer trazer tudo o que há de mais moderno e sofisticado - e caro também. Quer investir em andar gira todos os dias, em ter sempre tudo pronto para as ocasiões, em organizar também algumas dessas ocasiões. Mas depois chega a altura em que esse mesma mulher - eu - volta à realidade e se lembra que está numa fase de trabalho árduo, em que todos os momentos do dia são de volta dele e entre os quais não existe espaço para as tais "ocasiões" e não vai existir tão cedo. Agora que fica aqui escrito, sei que vou lembrar-me disto mais vezes e parar de perder tempo a namorar tudo o que vai além do normal nas mais lindas lojas de roupa (e respectivos sites) deste país.

2 comentários:

Filipa Santos disse...

boa semana, beijinho :)

O Sexo e a Idade disse...

Adorei "A mulher social e matadora que há em mim entra nas lojas, vê as novas colecções, apaixona-se e quer trazer tudo o que há de mais moderno e sofisticado - e caro também. Quer investir em andar gira todos os dias, em ter sempre tudo pronto para as ocasiões, em organizar também algumas dessas ocasiões. Mas depois chega a altura em que esse mesma mulher - eu - volta à realidade! parecia que estavas a falar de mim!
Ahahahahahahah
A mulher (eu) cai na real e sabe que não tem pachorra para tanta toilette e tanto pandan e que a coisa ou vai ao natural ou não vai!