sexta-feira, 18 de maio de 2012

Porque não há outra saída


Fico fora de mim com a burrice desmedida das pessoas, em especial quando é atirada para cima de mim constantemente e tenho de viver com ela como se nada fosse. Afecta-me a ignorância total dos meus colegas, não conseguir passar ao lado dela porque simplesmente não posso, porque é com ela que tenho de lidar no meu grupo de trabalho. Fico mais estupefacta ainda ao saber que venho apanhar com tudo isto num mestrado. Aquilo com que convivo no meu dia-a-dia é demasiado irreal, na verdade é surreal, é absolutamente inacreditável o que se pode encontrar a este nível. Transcede-me por completo a falta de interesse, de capacidades, de inteligência e sobretudo de bom senso e respeito pelos outros. Como me disse um amigo com experiência nisto, nesta fase temos de fazer uma "gestão de egos" e não de trabalho, mas nem isso é possível fazer com pessoas desta mentalidade. Ou sem mentalidade.

Ando a engolir tudo há tanto tempo, a dividir isto só com três ou quatro pessoas. Nem aqui escrevo sobre o assunto mas um dia destes há-de calhar (já hoje também calhou...), porque não se aguenta tanta surpresa desagradável e tantos empurrões para trás quando tento com tanta força levar o meu desempenho académico para a frente. A minha cabeça vai-me torturando e isto já não vai lá com aspirinas. Felizmente os trabalhos e apresentações terminam já nesta terça-feira, e com eles todo este castigo. Depois chegam os exames, eu fico por minha conta e mostro porque é que estas pessoas não vão voltar falar para mim até ao resto das suas vidas.

1 comentário:

Susy disse...

Infelizmente vais encontrar dessas pessoas ao longo da vida, na vida profissional então Txi....