sábado, 18 de junho de 2011

3º dia em casa

Longe de Lisboa. Não se explicam as energias que se sentem aqui, tudo é tão mais puro e mais genuíno. Não que nunca tivesse reparado, porque ao longo dos anos de universidade muitas foram as vezes em que tive de vir para aqui descansar e comecei a dar o devido valor. Mas desta vez foi diferente, eu estava a desesperar por estes ares. E que ares!
É outro o ar que se respira, os sons da natureza à nossa volta (são os únicos que existem), o mar aqui mesmo ao lado, que fui visitar na quinta-feira assim que cheguei. Impossível não sentir calma em frente ao mar. Tivesse eu disto em Lisboa e ansiedade nenhuma me atacava.

Não posso dizer que tenha adiantado estudo por aqui, mas fazendo um balanço (quase) final posso dizer que valeu a pena, foi um bom investimento porque vou daqui mais confiante e, espero, mais calma. Programa para hoje, no meio do estudo: café depois de almoço num bar da praia e à noite assistir às marchas populares dos santos destas aldeias.
Amanhã é o regresso e abdica-se de tudo outra vez até ao fim dos exames: da família, de qualquer descanso ou distracção, do blog, até do meu aniversário. É a vida, é a minha dura vida.

2 comentários:

Ana disse...

E o aqui é onde?

Belicious disse...

Aqui é Peniche, moro em Peniche :)