terça-feira, 1 de março de 2011

Novo mês, novo cabelo


E um grande desgosto. Ou estarei ainda na ilusão de que isto vai ficar muito giro depois de lavar?
Deixei metade dos meus longos cabelos no salão e não valeu a pena. Não fui daquelas que chora no fim do corte, mas aos poucos acho que vou ficar com o trauma e tão depressa não me meto em aventuras. Também não ajuda muito ter uma cabeleireira que, enquanto corta, vai perguntando "tem mesmo a certeza? quer mesmo cortar isto tudo? olhe que não costumo cortar tanto...". Tudo isto logo no dia em que pensei "bem, vou tornar o dia feliz a uma cabeleireira e deixá-la brincar com um cabelo deste tamanho". Eu respondia "sim, vá cortando que eu no fim aguento-me", na esperança de sair dali com um corte jeitoso, até porque estava num sítio bem caro que justificava a confiança. A brincadeira não correu muito bem, ela não tinha lá muito jeito e parecia que tinha medo de me tocar no cabelo. Eu ia à espera de uma coisa mais fresca, mas arriscada, e faz-me aqui um corte todo tradicional, daqueles que detesto e indico expressamente para não fazer. Thank you! Agora é esperar que cresça para ficar satisfeita outra vez.

1 comentário: