quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Uma merda este ano

Gostava de poder dizer que é tudo perfeito, mas não é. Dantes o Natal era um dia - aliás, era toda uma época - inexplicavelmente especial, agora tudo mudou e este ano vai ser para esquecer. Nos Natais que sempre tive, a casa estava cheia. Cheia de pessoas e também de música, alegria, danças, risos, festa, felicidade. O que encontro agora aqui é um pequeno grupo de pessoas que estão diariamente mal humoradas, umas chateadas com a vida e outras (uma outra, pronto!) indiferente a tudo, centrada no próprio umbigo. Estas pessoas não deixam o espírito natalício penetrar nesta casa e eu não sei lidar com isto. Dantes ainda recebiamos toda a família para festejar aqui a noite da consoada, mas agora até essas pessoas, as que salvavam a noite, eles conseguiram manter à distância. Pois claro, ninguém gostaria de passar o Natal de mau humor! Gostava é que também me levassem com eles para os seus novos Natais, mas a minha obrigação é ficar aqui e este ano nem as pessoas "visita" me salvam porque simplesmente não vão existir. As únicas pessoas que se vão juntar à família aqui de casa são três e a avó e dois tios que vêm cá jantar só porque sim, coitados.

Nesta família é assim porque não há diálogo. E quando não há diálogo, não há nada. É tudo numa relação e, sendo assim, aqui não há relações. É claro que estou a exagerar neste grito de revolta, mas a verdade é que não lido com pessoas que não sabem falar, que esperam que eu adivinhe o que lhes vai na cabeça. Não comunico por olhares ou por gestos, recuso-me a funcionar por adivinhas e esquemas. Aqui em casa parece uma luta de todos contra todos e nem na época de Natal há uma folga...

Foi o primeiro ano em que não enchi a minha máquina de lindas fotos natalícias, em que não tive vontade de ir experimentar novos doces (até porque não há gente para comê-los), em que não tive vontade de decorar a casa. Não tenho vontade de mandar sms ou email de boas festas ao mundo. É o primeiro ano em que não acordo e vou directamente pôr músicas de Natal a dar magia à casa. Ainda as meti a tocar uma ou outra vez e nessas alturas deu-me uma nostalgia dos nossos Natais antigos... Em que era tanta gente na mesa gigante que eu tinha de comer na mesa-extra dos pequeninos. Bons tempos que agora são só lembranças.

Não me dá gosto dar prendas, não me dá gosto dar sorrisos, nem sequer cantar e estas são três das coisas que mais gosto de fazer na vida. Este ano sinto-me muito triste e só me saiu este post revoltado...

Sem comentários: