quarta-feira, 14 de julho de 2010

O meu coração de carangueja não aguenta


Cada vez que é para fazer limpeza ao armário e a todas as gavetas de roupa é a mesma tortura. Tenho de saber separar o que ainda uso do que já fica ali só a encher mas eu não consigo, não consigo. Não consigo desfazer-me das roupas que me trazem recordações, e, se formos a ver, hmmmm, são todas! Custa-me tanto. Vou guardando esta porque me lembra isto, agora só mais esta porque com ela fiz aquilo, agora só aqui mais esta que não ocupa muito espaço e assim ainda me lembro dela por mais uns tempos. Mas no fim, quando vou a ver, estão lá todas, está tudo igual, mas só um bocadinho mais arrumado. Acabam por ficar mais um ano e nunca lhes toco. Foi assim todos os anos desde a adolescência, sem excepção, até que hoje decidi que tinha de ser como as outras pessoas nas arrumações e ganhar atitude. Foi aí que tirei tudo pra fora e praticamente fiquei sem nada do "antigo" pelas gavetas. Pelo meio ainda encontrei uns calções tão fofos, que eu ainda julgava usáveis, tamanho 7-8 anos. O mesmo com uma t-shirt. Esse foi o momento em que ganhei noção da gravidade da situação. É que o tempo passou tão rápido que não me apercebi das transições criança-teenager-jovem-adulta? (já estou aí?), ainda ontem brincava com aqueles calções fofos pela rua. Whatever... No fim fiz um monte gigante com tudo o que tenho a certeza que nunca mais vou usar. Doeu muito no meu pobre coração de carangueja, mais que apegado a tudo, que não se quer desfazer nem separar de nada, que quer guardar tudo para recordação. Mas teve de ser... Afinal, aquilo até vai tudo para outras miúdas vestirem, o que faz com que custe menos mandar tanta roupa embora. No fim disto tudo acho que me sinto muito mais organizada, leve e limpa. Ah, e claro, ainda mais preparada para umas belas férias. Acho que valeu a pena.

1 comentário:

Sofia disse...

A história confirma-se. A minha ajuda nesta missão é importante, no que toca a pegar nas roupas e tira-las da tua vista em três tempos!