quinta-feira, 29 de julho de 2010

Berlengas


Depois de ver hoje a emissão especial da rtp durante todo o dia dedicada só e apenas à nossa ilha é que veio o grande arrependimento de não ter marcado férias para ir lá este ano. Ainda hoje vi aquela beleza lá ao fundo no mar e pensei nisso a sério. Todos os anos queremos ir passar uns dias ans Berlengas, mas a verdade é que nunca é prioridade e acabamos por meter sempre as outras férias todas à frente e esses dias de loucura mesmo bem passados acabam por ser adiados para o ano seguinte. Tem sido sempre assim, até que hoje vi que temos de começar a dar ainda mais valor, que é coisa que não damos tanto porque temos a ilha aqui à nossa frente desde que nascemos. Aliás, todos pertencemos ao fantástico grupo do FB chamado "Da minha casa vejo as Berlengas" e ficamos muito orgulhosos disso.

Por outro lado, aquilo está a ficar cada vez mais conhecido, não sei se isso é bom ou mau. O que sei é que aquilo tem paisagens únicas, das mais belas que existem e, segundo sei, é no mar que se encontra a maior riqueza do arquipélago. Tem a mais bela paisagem subaquatica que um mergulhador pode desejar encontrar, pela biodiversidade. Tem ainda mais de cem espécies diferentes de animais e plantas, apesar da maior parte não estar ao alcance do visitante. Mas o visitante no nosso caso, jovens (de Peniche), nunca soube apreciar tão bem essa pérola da natureza e vamos para lá sempre à procura dos dias mais bem passados de todo o Verão. São sempre inesquecíveis, para toda a gente é "o paraíso" e é sempre para repetir. Aquele campismo, longe de tudo e todos, juntando à pequena praia e a todos os conhecimentos que se fazem ali, são vividos muito intensamente e nunca se quer voltar para casa. Agora tenho vontade de viver outra vez a experiência que por aqui todos os meus amigos têm todos os anos.

Hoje pelas filmagens deu para ver como a ilha está cheia de gente, mas é claro que vão e voltam no mesmo dia. Embora agora saiam cada vez mais revistas com as Berlengas na capa e de título "Campismo de Luxo", as pessoas são atraídas a ir visitar, mas nunca a ficar. Sim, porque o "luxo" é mesmo a paisagem e o oceano, já que as condições de estadia são tudo menos luxuosas: água no duche e em toda a casa de banho (só há uma) é salgada, isto em toda a ilha. Querem tomar um banhinho? Pois o método é levar de casa uns garrafões vazios para encher de manhã, na única hora do dia em que há água potavel numa torneira à disposição (boa sorte para a fila) e deixá-los a aquecer durante o dia para que ao fim da tarde tenham o vosso banhinho. O mesmo para lavar os dentes ou para o que quiserem. Luz? Não há. Comida? Acaba depressa, por isso é que não dá para ficar lá mais que 4 dias. E comprar lá é para esquecer... Junto as nossas amigas gaivotas, não esquecendo que ali é a casa delas e nós somos os intrusos. São tantas mas tantas, que se tornam o nosso despertador. Levamos constantemente com as suas cagadelas em cima, principalmente quando estamos deitados na praia, é ver o corpo a ficar todo "pintado". Mas é isto tudo que torna aquilo tão especial.

Resta-nos votar para que seja uma das 7 maravilhas do país. Já está nas 7 mais votadas, mas terá de se manter até ao fim para ganhar o seu merecido lugar e se tornar oficialmente Reserva da Unesco. Eu já votei... E como isto tudo ganhei uma grande vontade de ir lá passar um dia destes!

2 comentários:

Mirth disse...

leva-me ao baleal :)

Joana disse...

Devo confessar... que nunca lá fui =S
mas vai ficar na To-Do List =D